Dicas eficientes para economizar energia elétrica

Dicas eficientes para economizar energia elétrica

Seja na instalação elétrica residencial, comercial ou industrial é fundamental ter soluções inteligentes que evitam o desperdício e proporcionam o menor gasto possível com a conta de luz.

Mas, como garantir a economia de energia elétrica do imóvel?

Hilton Moreno, professor, engenheiro eletricista e consultor, explica que é possível garantir o menor gasto com a conta de luz criando um projeto elétrico bem dimensionado e com a utilização de aparelhos eletroeletrônicos que tenham alta eficiência energética, ou seja, aqueles que desempenham uma mesma função (ou até mesmo um funcionamento superior) gastando muito menos energia.

“É importante lembrar que a norma técnica ABNT NBR 5410 não é voltada para a economia de energia e sim para a segurança. Porém, um projeto bem dimensionado sempre deve proporcionar além da segurança, um bom desempenho elétrico e garantir a eficiência energética da instalação e dos equipamentos a serem usados”, completa.

Moreno ainda lembra que fios e cabos dimensionados de forma errada, ou seja, aqueles especificados com a seção nominal menor que o necessário em determinado circuito elétrico, aquecerão mais que o normal e consequentemente haverá maior consumo de energia elétrica.

Além disso, o superaquecimento dos componentes elétricos como fios, cabos, tomadas, interruptores, entre outros, podem afetar a segurança da instalação, já que resultam em fugas de correntes, curtos circuitos e até incêndios.

“Independentemente do tipo do imóvel, os fios e cabos elétricos são os componentes da instalação elétrica que gastam mais energia durante o seu funcionamento. Por conta disso, a norma NBR 15920 da ABNT publicada em 2011, determina regras e soluções para que esses produtos sejam dimensionados de uma forma energeticamente eficiente, mantendo sempre a segurança das instalações. Essa norma é ainda mais útil no caso de instalações que tenham equipamentos eletroeletrônicos de grande potência e que funcionem durante muitas horas por dia e muitos dias por ano, como é o caso de estabelecimentos comerciais e industriais”, afirma Moreno.

Segundo o profissional, a preocupação em relação ao desperdício de energia dos condutores elétricos resultou na criação dessa norma NBR 15920, que faz uma análise técnica e econômica do assunto e sugere os métodos para fazer os cálculos das seções nominais dos fios e cabos elétricos com a finalidade de aumentar a eficiência energética da instalação, o que consequentemente resulta em mais economia e também na redução das emissões de CO² na atmosfera.

 

110 e 220 V

De acordo com Hilton Moreno, o consumo é o mesmo em ambos os casos. A diferença está no valor de corrente que circula pela instalação e pelo aparelho, sendo menor em 220 V. Com isso, o aparelho pode usar fios e cabos elétricos com seção nominal menor que os ligados em 110V, desde que respeitadas as seções mínimas indicadas na norma de instalações elétricas.

Além disso, em alguns casos a escolha pela instalação em 110 ou 220 V não depende do morador, pois há regiões onde a instalação elétrica pode ser feita somente em um dos casos. Porém, há cidades em que há as duas opções coexistindo na mesma instalação.

“Convém esclarecer que, de fato, há alguns anos atrás a tensão 110 V no Brasil foi substituída por 115, 120 ou 127 V dependendo da região”, comenta Moreno.

 

Equipamentos eletroeletrônicos

São os principais ‘gastadores’ de energia. “Na indústria, os motores elétricos são os vilões, enquanto no comércio os maiores custos ficam divididos entre motores e iluminação. Já em residências os que consomem mais são os chuveiros e torneiras elétricas e os aparelhos de ar condicionado”, revela Moreno.

Por isso, a dica é sempre utilizar equipamentos com alta eficiência energética e que tenham o Selo do Procel.

“E se eles tiverem a classificação A do Procel, será possível economizar ainda mais energia”, recomenda Moreno.

Segundo ele, ainda não é obrigatório a aquisição de aparelhos com o Selo do Procel, mas com as vantagens oferecidas o fator virou argumento de venda, já que a economia é certa..

 

Iluminação

Para economizar com esse quesito basta optar por opções como os LEDs e as lâmpadas fluorescentes compactas.

Lembrando que desde julho de 2013 está proibida a venda de lâmpadas incandescentes (consideradas as grandes vilãs no consumo de energia) acima de 100 watts de potência. E há uma determinação do governo para que elas saiam completamente do mercado até 2017.

 

Automação

Moreno afirma que é uma grande aliada no que se refere à economia de energia. No quesito iluminação há diversas opções como os sensores de luminosidade e de presença que, quando instalados e planejados corretamente, garantem menor consumo.

Além disso, o projeto de automação permite diversas outras possibilidades que além do conforto reduzirão os gastos. E o retorno do investimento será conseguido em pouco tempo.

 

Calculando o valor da conta

Para saber o quanto está sendo gasto com cada aparelho, faça os cálculos segundo as fórmulas abaixo:

Energia consumida (kWh) = potência do aparelho (kW) x tempo de uso (horas)

Custo (R$) = Energia (kWh) x Tarifa (R$/kWh)

 

Outras dicas de economia

Para evitar desperdício e ter uma conta de energia elétrica mais barata siga as orientações abaixo:

– Evite a utilização de benjamins e réguas de tomadas. Sem dúvida são itens que aumentam os valores da conta de energia, pois o acúmulo de ligações acarreta em superaquecimento e perdas elétricas nos benjamins e réguas;

– Procure não deixar os equipamentos no modo de espera (stand-by). Opte por tirar os aparelhos e equipamentos das tomadas sempre que não estiverem sendo usados. Em alguns casos essa escolha pode reduzir a conta em até 15%;

– Quando disponível a escolha do aquecimento da água através da energia solar ou gás irá reduzir drasticamente os gastos com o chuveiro elétrico;

– Quando possível, coloque a temperatura dos chuveiros elétricos na posição ‘verão’ para economizar energia;

– Feche a porta dos ambientes que estiverem com o ar-condicionado ligado;

– Nunca instale o ar-condicionado em locais com grande incidência do sol, pois o consumo de energia será maior;

– Confira constantemente se a borracha de vedação da geladeira está em perfeitas condições;

– Apague as luzes dos ambientes e locais que não estiverem sendo utilizados, salvo os lugares em que as lâmpadas precisam ficar acesas por questões de segurança.

 

 

Fonte: www.cobrecom.com.br

compartilhe:
Endereço
Telefone
RUA DAS PALMEIRAS, 288
RESIDENCIAL FLORA
13280-164 | VINHEDO - SP
19 3876-6237
19 99185.8264  
© VGS MATERIAIS ELÉTRICOS - Todos os direitos reservados